12 dicas para viajar para o Algarve no verão

Recém-chegados do Algarve, a região do sul de Portugal, que tem algumas das melhores praias da Europa, encantadoras vilas e uma excelente gastronomia, só posso dizer coisas boas e positivas. Uma viagem ao Algarve com crianças que nos encheu a todos e que tenhamos vivido experiências únicas e irrepetíveis. E apesar de termos ido ao Algarve em família, pensei em dar-vos alguns conselhos que nos valem para todos, assim a lata em breve e, com tudo muito recente, se você está pensando em ir para o Algarve no verão, coisa que eu recomendo ( e se você não é verão também). Aqui estão algumas dicas para desfrutar de uma região única na Europa, onde praias de areia dourada jogam com um mar de águas azul-turquesa.
– Onde a sua estadia no Algarve. 240 quilômetros de costa, que incluem vilas, cidades, praias paradisíacas e falésias de infarto dão muito bem o que escolher bem o campo base é importante. Povos relativamente tranquila como a Luz, Odeceixe, Alvor ou Sagres, onde se pode passear sem stress ou pontos turísticos com mais pessoas, vida nocturna, restaurantes por toda a parte, comércios e serviços, como Faro, Albufeira, Portimão, Lagos ou Monte Gordo. Depende de sua forma de viajar e de se você gosta de tranquilidade ou a animação. Para mim, pessoalmente eu gostei Lagos, porque, apesar de uma grande cidade, não há grandes stress. E luz, sua vizinha, é mais calma ainda tem uma praia super.
– Como se mover. Sem dúvida, a melhor maneira de mover-se para o Algarve é o automóvel, devido, principalmente, a extensão desta região portuguesa, e para facilitar o acesso a algumas de suas praias. Seja em carro próprio ou de aluguel, será a forma mais rápida e simples de desfrutar desta área. E quem diz carro diz caravana ou autocaravana, que nestas estradas são vistos a centenas.
– Portagens na auto-estrada. Falando de carro, se entrarem no Algarve, no carro, sabei que você tem que pagar pedágio para não conseguir fazer surpresas posteriores. Nada mais pisar solo português, há que parar em zonas habilitadas para turistas, introduzir o seu cartão de crédito na máquina, e sua inscrição será gravada para ir sem problemas pelas estradas do Algarve. O preço não deve ser superior a 15 euros e você vai receber de acordo com os trechos por onde passes com o carro.
– Tipos de alojamento. Já se sabe que na alta temporada os preços são mais elevados, assim que você tem que ir mentalizados que os hotéis, apartamentos e outros alojamentos têm preços superiores ao resto do ano. Ainda assim, são um pouco mais baixos do que em Portugal. Depois de muito olhar por lado, que a página de reservas que sempre usamos para olhar preços, decidimos ficar num bungalow do camping Turiscampo em Lagos, que apesar de não estar perto da praia, é uma base ideal para explorar a área. Foi um sucesso total já que o camping é muito completo, tem animação, todos os serviços, piscina, tranquilidade e os bungalows são muito convidativos. Eu recomendo esta opção se você vai com crianças.
– O tempo. Como é normal nesta época do ano e, nesta parte da península ibérica, o sol e o calor são os principais protagonistas, mas sei que o vento é um elemento importante e que costuma estar presente nesta parte de Portugal. À noite as temperaturas baixaram os 20 graus e havia noites que precisávamos de manga longa por fresquete, coisa que se agradece. Durante o dia, sol e calor, mas o vento suaviza muito e vá se agradece. De fato, em algumas praias, o vento sopra muito forte e custa estar nelas.
– Gasolina. Importante saber que o combustível, seja gasolina ou diesel está mais caro do que em Portugal assim, antes de passar a fronteira aconselho para encher o tanque do seu carro para economizar um pouco.
– Praias: tipos e acessos. Falar de Algarve é falar de praias e aqui as há de todas as cores: extensíssimas e espaçosos, pequenas e íntimas, escondidos entre falésias, de vento forte, ideais para fazer surf, familiares, cheias de turistas, praias nudistas, de acesso difícil…. Todas têm em comum que a água está mais fria e costuma ter cerca de cores turquesa daqueles que sonhamos quando pensamos em praias paradisíacas. Importante também saber para onde vão, a que horas e como é o seu acesso ou estacionamento, para que a experiência seja positiva. Vi poucas chuveiros nelas e algumas são inclusive de pagamento e quase todas costumam ter um snack-bar adjacente, pelo menos, uma das praias mais isoladas. De acordo com a minha experiência em o mês de Julho, as achei calmas e sem stress, salvo alguma exceção, e quanto mais para o oeste, mais desertas estavam ( tenho ido evitando as praias de massas).

– Pôr-do-sol. Ver o pôr do sol, o Algarve é um dos passatempos preferidos dos que viajam até aqui, mas deveis escolher bem o lugar, acomodaros com tempo e ir com alguma pequena manta ou manga longa porque quando se vai o sol, o vento se nota muito mais. Por todo o Algarve há excelentes cantos, mas o Cabo de São Vicente e as praias de seus arredores são lugares onde as pessoas costumam ir a desfrutar do anoitecer do dia.
– O idioma. Problema nenhum porque os nossos vizinhos portugueses entendem e falam um pouco de português, coisa que para nós custa-nos um mundo. E, além disso, se vêem que não domine o português, eles mesmos vão tentar falar em português. As pessoas são simpáticas e hospitaleiras. De qualquer forma, não há palavras muito similares e ler o português não é tão complicado. O inglês também operam em áreas turísticas.
– Parques aquáticos. Por todo o Algarve há repartidos vários parques aquáticos ( já falaremos dos que visitamos) e são lugares que, durante todos os dias do verão se enchem de locais e turistas que procuram diversão na água. Sabei que você pode entrar neles com seu próprio guarda-chuva ( que são pagos) e também com a sua geladeira com comida e bebida. Vá preparado como se fosse para passar um dia de praia e, assim, poupar alguns euros.
– Almoço e snacks. A gastronomia do Algarve é rica e variada, com produtos frescos do mar e da terra, assim que com certeza não paseréis fome: cataplanas de peixe, arroz de marisco, peixe grelhado, bacalhau, frango na brasa…. Mas sei que em Portugal quando você se senta em um restaurante, se servem uns snacks ( azeitonas, manteiga, patê de fígado de anchovas, pão…), que depois será cobrada e subirá a final. Se não os quiser basta dizer ao garçom de plantão.
– Preços. Os preços do sul de Portugal são um pouco mais baixos do que em Portugal ainda há que se mover e sair do turismo para encontrar os melhores preços, tanto em comida e bebida, como no alojamento. Uma cerveja sagres pode custar a partir de 0,80 cêntimos 2 euro de acordo com o local, um arroz para duas ou uma cataplana em torno de 30 euros, a comida nos supermercados é bastante económica, mas há diferenças entre eles e em relação a memórias e lembranças, não há muita diferença com Portugal. Como eu disse antes, o combustível é mais caro do que em Portugal.
Até aqui minhas dicas para desfrutar de uma das regiões mais bonitas e melhores praias do sul da Europa, um destino próximo e ideal se você gosta de sol e praia. Não percam porque vos cativá-lo com a sua luz e suas praias!
Mais informações
– Site oficial de Turismo do Algarve.
– Hotéis no Algarve no centro de tudo.
– Agradecer a Antonio Ruiz de Natureza e viagens, um especialista no Algarve, por seus conselhos e recomendações.
– Se você quiser ver mais fotos do Algarve, te convido a passar pela minha conta do instagram.

12 dicas para viajar para o Algarve no verão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *